Seu prazer é aqui. As melhores acompanhantes de Niterói/RJ.

Flávia Albuquerque Eva Alencar | Aceito Cartões Siang Hellena Nicoly India Isabela Debby Coroa Jade Dançarina Mel Tavares Lavínia Raica – Aceito cartões Claudia Aguiar Thamara
Contos eróticos
O chifrudão nem percebeu que eu estava encoxando sua namorada dentro do ônibus
7 out 2011

Bem como de costume, em dia de dentista, depois da consulta vou até o Shopping Ibirapuera e lá fico esperando passar algum ônibus em que eu veja alguma gostosa! Como quem procura, acha, passou um ônibus chamado Parque Residencial Cocaia, lotadão, e subiu umas três garotas que estavão no ponto…aí eu pensei, tenho três boas opções, e também subi no ônibus!

Passei a catraca e quando olhei pro meio do corredor, uns 2 metros depois do cobrador, vi uma garota aparentando uns 19 anos…e um corpo fantástico, tava usando um vestidinho branco, as costas delas ficavam a mostra e ela naum usada sutiã…passei pra trás rapidinho e fui chegando aos poucos perto dela…cada vez mais meu coração batia forte, quanto mais eu chegava perto, mais eu ficava com tesão…quando cheguei atrás dela, percebi que ela estava com o namorado…dá pra acreditar? O cara sentado e ela de pé, fiquei todo triste, ia estar tão perto daquela gostosa e não ia poder fazer nada…

Bem, o ônibus foi indo seguindo seu caminho e cada vez mais lotado, as garotas que subiram junto comigo ficaram paradas no meio do corredor, mesmo que eu quissesse eu não poderia ir mais pro fundo, fiquei ali mesmo, atrás daquele tesão de bunda.

Quando vou nesses esquemas de encoxar sempre levo uma pasta, dessas tipo fichário e eficou atrás da garota e devagarzinho vou tocando a mão na sua bunda, se ela olha prá trás, eu dou a entender que foi o fichário, sempre funciona, é uma excelente desculpa.

Bem, lá estava eu, atrás de uma garota de mais ou menos 1,65cm, uns par de seios lindos, um vestidinho tentador com uma alça dessas que dão um laço no pescoço, fininho, era só tentar tocar aquele corpo, aquela bunda, suas costas…resolvi tentar, toquei de leve, devargazinho, só a mão… nada, nem olhou prá trás, fui de novo, nada…meu pau já estava duro, e ela começou a fazer carinho no peito do namorado e ficavam conversando assuntos comuns… ele chegou a perguntar por duas vezes se ela queria se sentar e ela respondia que não…aí eu pensei, se ela não quer sentar é porque está curtindo ou não percebeu nada…então resolvi agir com mais cautela, não queria correr nenhum risco, mas ao mesmo tempo um tezão incontrolável tomava conta de mim, continuei tocando naquela bunda deliciosa, com calma, bem devargazinho…sentia a calcinha, estava toda enfiada, era minúscula…que bunda lisa, perfeita, redonda…e com aquela calcinha toda enfiada no meio…meu pau parecia que ia pular pra fora da calça, latejava tanto que até doia…

Continuei tocando, tocando, até que em um momento ela colocou a mão prá trás e mexeu na calcinha, ajeitando…tudo normal se depois ela não tivesse passado a mão em uma das bandas e apertado…ela fez isso, eu não acreditei, apertou rapidamente a banda esquerda…foi a senha…pensei comigo, agora vou arriscar tudo. Arrisquei, passei a mão na bunda dela, de uma banda pra outra, devagar, mas com intensidade…a vadiazinha continuava batendo papo com o namorado, que agora eu já o chamava mentalmente de chifrudo, e aí percebi que a mullher que estava sentada ao lado do meu amigo chifrudo era a mãe dele, a sogra da vadiazinha…o papo começou a rolar entre os três e aí eu liguei o foda-se e passei a passar a mão naquela bunda devagarzinho, fazendo carinho, tocando em uma banda, na outra, acompanhando com um dos dedos o percurso que a calcinha fazia naquela bunda fantástica, comecei a puxar de leve a alça da calcinha, pra deixá-la mais dentro daquela bunda…de leve, com carinho, eu olhava pros lados, ninguém percebendo, e ia viajando…ela fazendo carinho no peito do namorado, por vezes ele encostava a cabeça nos seios dela…os três conversando…ela pediu pra sogra abrir um pouco a janela, visivelmente estava excitada e com calor, eu olhava pra janela, via o reflexo do seu rosto e de seus seios…os bicos estavam duros, comecei a abusar e passava a mão nas costas e ia descendo, chegava na bunda e continuava até o começo das coxas…subia e descia, devagar, as vezes passando só as unhas…de leve, passei a observar os pêlos do braço, todos arrepiados…ela ficava se abanando com uma das mãos e com a outra acariciava o queixo, a boca e o peito do namorado…meu sócio chifrudo.

Eu já não estava aguentando mais de tesão, olhei pra fora e percebi que já estavamos quase chegando ao ponto final…resolvi então descer, antes, respirei bem fundo, levei a mão até aquela bunda maravilhosa e dei uma apertada, segurando por alguns segundos…pra guardar na memória, ela surpreendentemente colocou sua mão prá trás pra coçar as costas e desceu a mão até a altura da cintura….rapidamente toquei nos seus dedos e ela apertou meu dedo indicador…quase morri…respirei fundo de novo…pelo reflexo da janela, olhei bem direto em seus olhos,….e fui pra trás do ônibus, desci, missão cumprida!



Busca em Contos eróticos »

Arquivos em Contos eróticos »

Seguidores »

Tags em Contos eróticos »

Este site é, única e exclusivamente, um veículo de comunicação entre pessoas, e não tem nenhum vínculo com seus anunciantes que são, também, responsáveis únicos pelas informações contidas em seus respectivos anúncios bem como pela garantia de que são maiores de idade. Belas e Cia NÃO É AGÊNCIA e não assume nenhuma responsabilidade pelo conteúdo dos anúncios ou pelas respostas a qualquer um deles.
© Copyright 2011 :: www.belasecia.com :: Todos os direitos reservados Criar Sites RJ